Alergia ao Marisco: Quais os Cuidados a Ter

Uma das alergias alimentares responsáveis pelas reacções mais graves é a alergia aos mariscos, que é causada pelo próprio sistema imunitário. Saiba neste artigo os cuidados a ter.


As reacções a esta alergia incluem prurido dos lábios, língua e garganta; vómitos e diarreia; reacções da pele como urticária ou inchaço; e eczema.

No entanto, os casos mais graves envolvem com comprometimento da função cardio-respiratória correcta. Por conseguinte, se for alérgico a marisco, não deve correr o risco de consumir este tipo de alimentos.

EM QUE CONSISTE A ALERGIA AO MARISCO?

A alergia aos mariscos é mais prevalente entre os adultos. O tipo de reacção alérgica e a sua gravidade dependem da pessoa e do tipo de moluscos consumidos.

Assim, as pessoas que têm alergias a mariscos - incluindo lagostins, caranguejos, santolas, camarões e camarões - têm mais probabilidades de reagir negativamente a estes alimentos.

As reacções alérgicas podem resultar do consumo de moluscos, tais como bivalves (amêijoas, ostras, mexilhões...), gastrópodes (caracóis e caracóis), e cefalópodes (choco, polvo, lula...).

TIPOS DE REAÇÕES ALÉRGICAS

Já discutimos algumas das possíveis reações que a alergia ao marisco pode causar numa pessoa alérgica a esse tipo de alimento.

Sejam eles cozidos ou não , mesmo o contato com o vapor da cozedura em alguns casos pode causar reações graves.

Importa, todavia, explicar que os efeitos da alergia costumam surgir entre 15 a 120 minutos após o consumo do marisco.

Os principais tipos de reações alérgicas ao marisco são:
  • Cutâneas: muito comuns, estas reações podem manifestar-se através de manchas vermelhas, prurido, descamação, pápulas, pequenas bolhas e edema, sobretudo na zona do rosto;
  • Respiratórios: congestão nasal, tosse, sibilâncias e/ou dificuldade em respirar ou engolir;
  • Digestivos: náusea, dor no abdómen, vómitos ou diarreia.
Pessoas com asma têm um risco maior de ter reações graves.

CUIDADOS A TER

A única maneira de evitar reações alérgicas ao marisco é não comer esse tipo de alimento.
Pessoas mais sensíveis devem evitar ir a marisqueiras, pois mesmo o contato com vapores pode causar efeitos.

Também é nutricionalmente importante colmatar a falta de ingestão deste produto com ingredientes nutrientes como vitaminas B12 e B6, selénio, ferro e zinco.

Adicionalmente, e como medida preventiva no caso de ingestão de algo contendo marisco, anti-histamínicos e epinefrina auto-injetável devem ser tomados.

No entanto, o mais importante é evitar o consumo de mariscos.
Portanto, preste atenção aos seguintes cuidados a serem tomados:
  • Esteja sempre atento aos rótulos dos alimentos que vai ingerir. Muitos deles podem conter vestígios de marisco;
  • No restaurante, alerte sempre o empregado sobre a sua alergia ao marisco, de modo a evitar a contaminação cruzada;
  • Evite ir a marisqueiras, pois a própria proteína do marisco é capaz de circular no ar, em locais que cozinhem este ingrediente;
  • Caso viaje para o estrangeiro, deve consultar antes um alergologista e levar consigo um kit de urgência e uma injeção lifesaving, recomendado e prescrito pelo seu médico, sobretudo se for para destinos onde a assistência em saúde seja mais precária.
Portanto, se suspeitar que pode ter alergia a mariscos, deve consultar um alergologista, para confirmar ou não a sua suspeita.
Para isso, deverá fazer um teste cutâneo e análises ao sangue.

Comentários